Bolsonaro escolhe deputado que xingou Moraes como vice-líder do governo 

Conta no Twitter do parlamentar está bloqueada após pedido da PGR no âmbito do inquérito que apura atos antidemocráticos.

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), nomeou o deputado federal Otoni de Paula (MDB-RJ) como um dos vice-líderes do governo na Câmara. Ele já havia ocupado o posto em 2020, mas o deixou depois de ter publicado um vídeo em que xinga o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes. A indicação do presidente foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União da última sexta-feira (22).

Otoni é investigado pelo STF no âmbito do inquérito que apura organização e financiamento de atos antidemocráticos. Em agosto do ano passado, após pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República), o ministro Alexandre de Moraes determinou o bloqueio da conta do Twitter do deputado federal, que segue sem acesso.

Conforme apontou a PGR, no pedido feito na época, o deputado havia publicado vídeos e outros conteúdos convocando a população a "praticar atos criminosos e violentos de protesto às vésperas do feriado de 7/9/2021, durante uma suposta manifestação e greve de 'caminhoneiros'".

Além disso, quando ainda era vice-líder do governo, em 2020, Otoni, que é pastor evangélico, publicou um vídeo em suas redes sociais em que xinga o ministro Alexandre de Moraes, por decisão desfavorável ao blogueiro Oswaldo Eustaquio. "Você é um lixo, você é o esgoto do STF, a latrina da sociedade brasileira", disse o deputado. Depois, afirmou que extrapolou seus "próprios limites éticos".


Deixe seu Comentário